fbpx

Marketing de conteúdo para relacionamento com os clientes

Não é segredo que o marketing no meio digital ganhou muito espaço com o advento da conectividade no período contemporâneo da Era Digital. O que era uma tendência se tornou o “estado da arte”, fato que impulsionou uma corrida diária entre pequenas e grandes marcas, a fim de levar sua marca aos parceiros/clientes.

O engajamento e familiaridade com a marca — fatores que foram as principais alavancas do crescimento do marketing digital — eram difíceis de conseguir na mídia tradicional. Isso porque ela via os consumidores como objeto passivo de uma estratégia de marketing voltada para o produto. Sua facilidade no meio digital trouxe esses atributos ao cerne da estratégia moderna: pessoas, personalização, engajamento e confiança.

Nesses quatro pontos levantados, tive como objetivo sintetizar o que acredito ser fundamental no sucesso do marketing digital — e dar um foco maior sobre eles. Não seria justo deixar passar que cometi uma simplificação rude listando-os, apenas. Aos mais ávidos leitores, recomendo a fonte.

Em pessoas, devemos entender que cada cliente é um indivíduo único, com aspirações, gostos, desejos e interesses. Cada um de nós é um amálgama, complexo e intrincado.

Bem, se pessoas são complexas, precisamos de personalização! Como vamos esperar criar um bom relacionamento com as pessoas quando apenas falamos e pensamos em nós/nosso produto? Vamos pensar nesses desejos e interesses da comunidade alvo e produzir algo valioso para ela.

Porém, para conhecer bem os anseios, precisamos estar engajados com a comunidade. Ouvir e interagir com a marca de forma mais humana cria esse elo de confiança entre as partes. Transforma esse grupo de potenciais consumidores e marca em uma comunidade, em um grupo de pessoas que compartilha conhecimentos e experiências com a marca e entre si.

Por fim, essa comunidade se sustenta pela confiança que os membros têm na marca que participa ativamente. Pois, se confiamos nos membros da nossa comunidade, essas trocas de informação e consumo geram um ciclo de aprimoramento e consumo dessa marca.

Ora, o que é que engloba esses quatro pontos-chave com maior maestria que o marketing de conteúdo?

O que é o marketing de conteúdo e como usá-lo em seu relacionamento com o cliente?

Esse paradigma se caracteriza por criar conteúdo que seja relevante para a vida dos consumidores. Porém, que também seja relacionado à sua marca entregar esse conteúdo no momento adequado ao público e se aprimorar sobre o feedback dessa campanha.

Mais detalhadamente, precisamos primeiro pensar no objetivo do conteúdo: é uma campanha pontual? Queremos engajamento recorrente? Queremos potenciais clientes?

Com essas metas em mente desde a concepção, podemos posteriormente avaliar se a campanha ou produção foi bem sucedida e decidir qual será o público alvo dessa ação. Essa etapa de segmentação é um pilar fundamental do marketing. Seja para determinar parâmetros geográficos, demográficos ou psicográficos.

Normalmente queremos atrair o segmento com o perfil adequado ao da nossa marca. Mas podemos também aplicar uma segmentação bastante ampla quando já temos uma comunidade estabelecida. Com o público definido, queremos pensar nas pessoas que compõem, bem como descrito no item pessoas. Quem são, o que desejam, como se comportam e como percebem a marca?

A criação de conteúdo e sua distribuição é onde o trabalho criativo será mais importante. Um membro ativo de uma comunidade terá uma vantagem clara quando se trata de compreender os desejos do grupo por meio da empatia criada pela participação e pertencimento, mas isso não faz com que o trabalho duro fique de lado.

Vemos muitos casos de sucesso se darem por características determinantes de certas marcas que são atributos comuns da comunidade ou peculiaridades que a tornam atraente.

Pode ser um exemplo bastante exagerado, mas podemos citar o canal HowToBasic, que conta com uma comunidade ativa e em crescimento, com um conteúdo bastante característico.

Próximo da comunidade

Por fim, mas não menos importante, devemos estar atentos ao ciclo de feedback da comunidade. Por estar tão próximo da comunidade, o feedback é rápido e muitas vezes bastante assertivo. Manter seu conteúdo alinhado com as necessidades da comunidade é o que diferencia e faz esse paradigma crescer tanto.

Por exemplo, o estudo do Meio e Mensagem baseado no Youtube Insights revela que a plataforma está presente na vida da maioria dos jovens entre 18 e 34 anos — 96%, pra ser preciso.

Nele, qualquer pessoa pode se tornar uma marca, produzir conteúdo para uma comunidade organizada sob a ótica de um canal, onde aqueles interessados no conteúdo se inscrevem e podem interagir de formas diferentes com outros membros ou com a marca.

Essa organização natural do ecossistema dessa plataforma faz dela o ambiente ideal para essa estratégia. Já começamos a ver grandes marcas se colocarem em relacionamentos cada vez mais próximos dos criadores de conteúdo dessa plataformas. Como foi o caso da gigante Samsung, que levou um casal de youtubers para sua matriz na Coreia do Sul para prestigiar um de seus lançamentos.

Por fim, vale aprofundar os estudos no tópico e se manter informado. Afinal, como o marketing digital outrora foi tendência, agora é o marketing de conteúdo. O futuro do paradigma é promissor.

Cientista da computação e Data Engineer na DP6, é fascinado pelos sistemas computacionais e suas aplicações nas mais diversas áreas. É leitor ávido de Asimov e intrigado sobre quanto a tecnologia ainda vai se fundir com nosso cotidiano.


Todos os posts de Eduardo Podgornik  

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *