fbpx

Discrepâncias entre Google Ads e Google Analytics – parte 2

No primeiro artigo da série sobre discrepâncias de dados no Google Analytics (GA), vimos que, nem sempre, ao comparar Google Analytics e Google Ads os dados das duas plataformas, eles irão bater totalmente, assim como os motivos para isso acontecer.

Nesse post, também vimos que a comparação de dados entre diferentes ferramentas podem apresentar essas discrepâncias, mas elas são esperadas e não precisamos nos preocupar, se soubermos o que está levando a essa diferença nos números apresentados.

O uso em conjunto de dados do Google Analytics e de ferramentas de CRM ou sistemas de backoffice permite unir dados de comportamento dos usuários no site com a atividade offline dos clientes do seu negócio.

Google Analytics e Google Ads

Com o uso de dados dessas duas ferramentas conjuntamente, é possível criar listas de remarketing mais inteligentes, saber qual estágio do processo de venda um usuário está, que tipo de lead ele é, além de dados como gênero, profissão e renda, aliados com os dados do mundo online.

Porém, como o GA e os CRMs são feitos com propósitos diferentes, a forma como elas registram dados muda, mesmo quando referentes a um mesmo tópico, por exemplo, uma determinada conversão, e é esperado que haja algumas diferenças nos números apresentados.

Agora na segunda parte da série, veremos alguns dos motivos que podem acarretar a diferença no que é reportado pelo Google Analytics e por ferramentas de CRM quando comparamos dados entre as duas plataformas.

1. Diferenças no registro da conversão

A forma como uma conversão é registrada em um CRM (ou em sistemas de backoffice) e no Google Analytics é diferente. O GA permite registrar apenas uma única conversão (por meta) em uma sessão. Caso um usuário, dentro de uma única sessão converta 2 vezes em uma mesma meta, só será contabilizada uma conversão, já no CRM serão duas conversões.

2. Filtros do Google Analytics

Quando configuramos o GA, é possível criar vários filtros, por exemplo, para excluir tráfego interno ou para separar subdomínios em vistas diferentes, já as ferramentas de CRM não têm filtros desses tipos. Então caso seja observada diferenças em alguma métrica nas duas ferramentas, é importante checar os filtros do GA.

3. Erros do JavaScript

O Google Analytics funciona com base no JavaScript. Caso outro código da página quebre o JavaScript, o GA não será inicializado e, então, não haverá coleta de dados daquela conversão.

4. Posição da tag do Google Analytics na página

Caso a tag do GA esteja no final do código da página, é possível que o usuário saia da página antes que seja feita a coleta dos dados da conversão, gerando discrepância com os dados do CRM. Por isso, é importante que o código do GA esteja logo abaixo da tag <head> no HTML de todas as páginas do seu site.

5. Limite de hits por sessão

O Google Analytics é configurado com um limite de 500 hits por sessão. Caso esse limite seja ultrapassado antes do usuário realizar a conversão, ela não será contabilizada pelo GA.

6. Versões de navegador

Cada navegador possui suas peculiaridades e, com as diferentes especificidades de cada um, é possível que o GA não funcione perfeitamente, dependendo da versão do navegador, interferindo na coleta de dados.

7. Bloqueador de anúncio

Alguns plugins de bloqueio de anúncio também bloqueiam o GA, fazendo com que nenhum dado seja enviado para a ferramenta, causando discrepância entre os dados do GA e do CRM.

8. Usuário não quer ser rastreado

Ao implementar o GA é possível configurá-lo para não coletar dados caso o navegador que o usuário estiver utilizando ofereça uma opção que bloqueie o rastreamento de atividades dele. Se isso ocorrer, os dados da sessão, incluindo possíveis conversões, não serão enviados para o GA. Para mais informações sobre Do Not Track (DNT), mecanismo que comunica as preferências do usuário sobre rastreio de atividades, clique aqui.

9. Múltiplos disparos para o Google Analytics

Até agora vimos erros que causam que o volume de dados no GA seja menor que no CRM, porém também é possível que o inverso ocorra. Por exemplo, se a discrepância observada for de mais conversões no GA do que na ferramenta de CRM, pode ser um caso de erro na implementação de tag do GA, gerando múltiplos disparos para uma única conversão ou permitindo que o usuário acesse múltiplas vezes a página de conclusão.

10. Fuso horário

Esse é um detalhe tão pequeno que pode facilmente passar despercebido. Caso o seu CRM e o GA estejam configurados em fusos horários diferentes, é possível que uma mesma conversão seja registrada em dias diferentes em cada plataforma, gerando discrepâncias ao analisar um mesmo período fixo.

É esperado que haja discrepâncias entre os dados reportados pelo Google Analytics e as ferramentas de CRM. Não há motivo para pânico. A diferença na forma como os dados são coletados gera algumas diferenças entre os dados das duas plataformas.

Além da diferença na forma da coleta de dados em cada plataforma, há fatores externos como uso de bloqueadores de anúncio ou versões diferentes de navegadores que podem afetar o envio de dados para o Google Analytics. Contudo, isso não interfere nos insights e estratégias que o uso de dados do Google Analytics e de um CRM em conjunto pode gerar.

Até o próximo post desta série, no qual veremos discrepâncias entre propriedades Roll-Up e propriedades-base do Google Analytics.

Graduando em Letras com habilitação em Português e Linguística, tendo atuado com chatbots até migrar para análise de dados de Marketing Digital. Na DP6, já atuou em projetos de Atribuição Offline e Data Quality.


Todos os posts de Iago Nunes  

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *